Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Senador Ciro Nogueira (PP-PI) é um dos principais aliados de Bolsonaro no Congresso
Senador Ciro Nogueira (PP-PI) é um dos principais aliados de Bolsonaro no Congresso| Foto: Agência Senado

O presidente do Progressistas, senador Ciro Nogueira (PI), disse nesta sexta-feira (9) que vai sugerir aos colegas senadores que o escopo da CPI da Covid-19 alcance governadores e prefeitos.

O parlamentar é um dos principais aliados de Jair Bolsonaro no Congresso. O presidente da República também tem defendido a inclusão de governadores e prefeitos na investigação que o Senado deve abrir para investigar as supostas omissões do governo federal na gestão da pandemia do novo coronavírus.

O líder do DEM, senador Marcos Rogério (RO), também é contra a instalação da CPI, mas acredita que é difícil incluir prefeitos e governadores na mira da Comissão. "O fato determinado tem de estar presente no pedido. Não há possibilidade de você fazer alargamento de escopo de CPI se não tiver isso presente no pedido", afirmou Marcos Rogério.

Já o ex-presidente do Senado e líder da Maioria, Renan Calheiros (MDB-AL), não vê problema na inclusão de governadores e prefeitos como alvos da CPI. O filho do senador é Renan Filho (MDB), governador de Alagoas.

"Ela (CPI) tem que iluminar os porões da pandemia. Se houver responsabilidade, seja onde for, tem que levantar. O papel é esse de CPI, é iluminar. Não instalar a CPI é tornar o Senado cúmplice desse morticínio", observou.

Não é a primeira vez que STF determina instalação de CPI

Renan Calheiros, aliás, já passou por situação semelhante à que vive agora o atual presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Ao mandar Pacheco abrir a CPI da Covid-19 para investigar a condução da pandemia pelo governo Bolsonaro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso reeditou um roteiro traçado pela Corte em 2005.

Na ocasião, por 9 votos a 1, o Supremo determinou a Renan, que presidia o Senado, a instalação da CPI dos Bingos para investigar o escândalo envolvendo Waldomiro Diniz, assessor do então ministro da Casa Civil, José Dirceu, acusado de receber propina de bicheiros para a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2002.

Pacheco pretende ler a solicitação para criar a CPI na semana que vem. Depois disso, os partidos terão de indicar os integrantes.

52 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]